AgroForte soma R$ 100 milhões em operações e se consolida como principal Agrifintech do setor

AgroForte soma R$ 100 milhões em operações e se consolida como principal Agrifintech do setor

9 de julho de 2024 Off Por

 Com a meta de empoderar o pequeno produtor rural, a empresa pretende dobrar as operações no período de um ano

A Agrifintech AgroForte completa quatro anos de trabalho e se consolida como a principal no setor de crédito voltado ao pequeno produtor de proteínas.

Apesar de ser fundada em 2020, suas operações iniciaram em 2022 e já somam cerca de R$ 100 milhões, acessados por produtores rurais das regiões Nordeste, Sudeste, Sul e Centro-Oeste, nos principais setores de proteína, um mercado de mais de R$ 350 bilhões de produção primária.

A fintech traz o mercado de capitais para dentro da fazenda, utilizando tecnologia e desenvolvimento de canais importantes para acessar o pequeno e médio produtor rural.

Por meio de uma alternativa de crédito ágil, projeta dobrar esse volume de recursos injetados no mercado nos próximos 12 meses.

Hoje a AgroForte possui mais de 20 empresas parceiras, entre agroindústrias, laticínios e cooperativas, que juntas, somam mais de 45.000 produtores nas suas cadeias de fornecimento. Todos eles já podem acessar crédito pelo aplicativo da AgroForte.

“Com nossa tecnologia de dados, esteira inovadora e acesso aos canais da cadeia de valor, conseguimos levar para o pequeno produtor uma proposta de crédito ágil, customizado e sem burocracia. Essa era uma demanda dos produtores dos principais setores de proteína. Nosso modelo de negócio traz valor não só para o produtor, mas também para toda a cadeia, incluindo a agroindústria e fornecedores de equipamentos e insumos. A AgroForte acaba sendo um elo conector dos players, focado no principal gargalo, que é o crédito”, explica o CEO e fundador da AgroForte, Felipe d’Ávila.

Segundo ele, a jornada da Agrifintech começou com a ideação em 2019, quando iniciou uma pesquisa no mercado de proteína. Naquele ano verificou poucas alternativas de crédito ao pequeno produtor e uma necessidade de prazos mais extensos.

E a oportunidade de atuar não só com custeio, mas também em investimentos para equipamentos de aviários, compra de novilhas, novas estruturas e possíveis reformas, linhas mais longas pouco tratadas pelos bancos tradicionais.

É o que ele chama de crédito com criação de valor, já que o produtor pode investir em ganho de produtividade e, consequentemente, impactando a renda da sua família.

Buscando a influência da família na atuação de proteína animal, d’Ávila lembra que seu bisavô, foi fundador da Sadia na década de 1940.

“Ao aprender diariamente com ele, pude testemunhar os desafios enfrentados pelos produtores rurais, parte da cadeia produtiva da empresa. Principalmente no que se refere à falta de crédito para reformas estruturais dos aviários ou compra de equipamentos novos, o que impactava enormemente na produtividade e renda da família produtora. Especialmente na falta de agilidade na alta burocratização dos canais tradicionais de crédito”.

O público-alvo da marca sempre foi o pequeno produtor, que geralmente possui ticket menor, mas precisa de crédito para avançar na produção, no ganho de produtividade e aumento de renda.

“Hoje estamos muito próximos desses produtores. Nunca podemos perder isso. Mesmo ele acessando o crédito diretamente no aplicativo, abraçando uma experiência completamente nova para esse público, nosso diferencial é estar próximo, porteira adentro, conhecendo a realidade e ofertando linhas customizadas para cada setor de atuação”, explica d’Ávila, ao revelar que o ticket médio das operações da AgroForte, giram em torno de R$ 80 mil, cada.

Em comparação com o tradicional crédito rural, a AgroForte se posiciona como um complemento e um acelerador, para que os produtores façam as reformas ou compra de equipamentos de forma mais ágil.

Diferente dos demais, o crédito está sempre disponível, dispensando bens como garantia, e sem comprometer o limite dos produtores nas linhas de crédito tradicionais.

Além de atingir de R$ 150 a R$ 200 milhões de operações nos próximos meses, com esse perfil de crédito de impacto, a AgroForte segue com propósito de estender as operações.

“Queremos transformar o agro no Brasil, ao trazer uma alternativa de crédito customizada e mais eficiente. Seremos, em breve, a maior solução financeira de impacto para pequenos e médios produtores de todas os setores de proteína. Vamos atingir esse objetivo empoderando o pequeno produtor, e consequentemente, fomentando toda a cadeia produtiva das empresas parceiras”, finaliza o CEO.